segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Abraçar a Sombra com sucesso

Imagine que acorda um dia pela manhã e decide que quer escalar o Monte Everest. Vai à internet e compra um bilhete de avião para a Índia (passando por Londres, claro) e dois dias mais tarde está na Índia. Aí descobre que se enganou no país! Compra um bilhete para o Nepal e segue viagem. Quatro dias depois da decisão inicial eis que se encontra no topo da montanha mais alta do mundo!

Acredita mesmo que seria capaz desta proeza?... Claro que não! Levaria pelo menos uns dois ou três anos só a preparar-se! Só depois de muitas tentativas, escaladas a montanhas pequenas inicialmente, alguns entorses e queimaduras pelo frio, é que estaria preparado para o grande desafio.

Passa-se o mesmo em relação à nossa sombra. Se acreditar que o simples facto de tomar consciência de um aspecto negado é suficiente para o abraçar e integrar na totalidade que você é, está profundamente enganado. Na verdade estará a dar ainda mais poder à sombra. Irá sentir uma (falsa) segurança, sabendo que já abraçou o seu lado arrogante, raivoso, ressentido, mentiroso... Até ao dia que alguém lhe “prega” uma partida e a sua sombra vem cá para fora novamente!

Nós nunca seremos capazes de abraçar a nossa sombra através do intelecto. Apenas o nosso coração é capaz de o fazer.

Deixo-lhe abaixo algumas das condições que tem que observar se quiser abraçar os seus aspectos negados. Lembro-lhe que deverá fazê-lo com muito amor e carinho por você mesmo, sem se julgar nem criticar.

Primeiro: proteja-se da velocidade! Tem que respeitar um período de incubação antes de poder abraçar um aspecto negado. Quanto tempo precisa para integrar o seu impulso para fingir que está tudo bem, por exemplo? Lembre-se da metáfora inicial do Monte Everest!

Segundo: trabalhe no processo de integrar um aspecto da sombra durante algum tempo, em vez de o fazer de uma só vez. Há aspectos da sombra que resistem a sua integração consciente durante bastante tempo.

Terceiro: peça ajuda ao seu Eu Superior no processo de integração. É ele o responsável pela integração com sucesso.

Quarto: ao aplicar qualquer das muitas estratégias para a reintegração da sombra faça-o na presença de uma testemunha, que irá servir de guia. Esta pessoa deverá ser alguém em quem confia plenamente e que o irá apoiar nos momentos mais difíceis. Aproveito para dizer que se ainda não teve momentos verdadeiramente dolorosos, em que chorou de raiva, ou momentos de um vazio total, então ainda nem sequer pensou na viagem à Índia!

Para terminar: saiba que tudo o que observa no mundo exterior é um aspecto de si. Se alguém mostra raiva, ou rancor, ou vergonha, ou culpa ou má educação... Tudo aspectos seus que ainda não foram integrados. Nós só conseguimos experienciar no mundo exterior aquilo que possuímos no nosso mundo interior.

Sem comentários:

Enviar um comentário