terça-feira, 5 de outubro de 2010

A Crise Mental

Para muitos de nós a vida é controlada pelos nossos pensamentos relacionados com o trabalho e o dinheiro. Mas se os nossos pensamentos forem claros, como é que o trabalho ou o dinheiro podem ser um problema? Tudo o que precisamos de mudar são os nossos pensamentos. Em realidade os nossos pensamentos é tudo o que podemos mudar. E isto é o que há de bom na nossa vida.

Dá a ti mesmo um momento para desistir de ter razão e suspende tudo aquilo em que acreditas relacionado com trabalho e dinheiro. Suspende as tuas crenças por alguns minutos.

Tu queres dinheiro porque te ensinaram que precisas dele para comprar a tua felicidade. Mas apenas podes encontrar a felicidade dentro de ti, nos teus pensamentos. Ao questionares a tua vida irás descobrir que o dinheiro não é assim tão importante. Deixas de te identificar com a quantidade de dinheiro presente na tua vida, desligas-te da necessidade de ter dinheiro. E quando te desligares desta necessidade o dinheiro só pode aparecer na tua vida. É uma das leis incontornáveis da vida.

Muitas pessoas acreditam que o medo e o stress é o que lhes trará dinheiro. Porque outro motivo andariam tão stressadas? Medo de perder o emprego, medo de ficar sem sustento, medo de ser abandonado. O medo impulsiona tudo o que fazem. E garantem assim o seu sofrimento.

Mas será verdade que precisas de dinheiro? Quem é que serias sem dinheiro? Quem é que serias sem o teu trabalho? Estas são questões que podem assustar, mas que nos libertam do medo.

Quem é que tu serias se nunca acreditasses que precisas de um trabalho e de dinheiro?

O teu trabalho nesta realidade é só um: utilizar o teu emprego para julgar, criticar, investigar e conhecer-te. O teu emprego primário é só um: estar grato por quem tu és.

Acredito que nesta vida só há três tipos de assuntos: os meus, os dos outros e os de Deus. O dinheiro é um assunto de Deus e dos outros. Os meus pensamentos são um assunto meu. Isto é realidade. Se acreditas que controlas o teu salário ou o teu emprego, irás criar stress. O stress surge sempre a partir de um pensamento que é mentira. Será que ainda não conseguiste ver que não tens qualquer controlo sobre os teus rendimentos? Mas podes controlar os teus pensamentos. Questionando-os.

Tu podes acreditar que a tua vida seria muito melhor se tivesses um carro novo, ou um vestido novo, ou uma casa nova, ou um curso novo. Acreditas nisto porque te colas à ideia de uma história. O que diria a tua história se tivesses mais dinheiro? Que não és um falhado? Que sabes providenciar para a tua família? O que quer que seja que tenhas irá significar coisas diferentes para cada ser humano, dependendo da sua história. Tu vais na rua, a conduzir um Ferrari e alguém pensa “Uau! Que carro!”, enquanto outra pessoa pensa “Exibicionista! Quem andará a roubar?” e outra pessoa ainda irá pensar “Ganhou o euromilhões!” – cada pessoa irá pensar de acordo com a sua história. Mas qual é a tua história? Um carro é um carro.

O problema surge quando nos agarramos ao significado de algo. Conceitos.

Nós não ficamos agarrados a coisas, mas aos pensamentos acerca das coisas. Eu agarro-me à história do meu carro. “É bonito. Leva-me para o trabalho.” “É velho e está acabado.” “Sinto-me uma estrela no meu carro.” “O que pensarão os meus pais quando me virem neste carro?” Mas sem uma história, um carro é um carro. E posso ir para o trabalho no carro, no autocarro ou a pé. Não deixo de ser quem sou por causa do carro. A realidade é que podes ter um carro, entras nele e conduzes até ao trabalho. Ou não tens um carro e entras num autocarro para ir ao trabalho. A mentira está na história que contamos acerca do carro e do que significa para nós.

Muitas vezes já admirei as manhãs frias de inverno, em que os passarinhos chilreiam. Se o coração dos passarinhos pode cantar numa manhã gelada e sem alimento, poderias permitir que o teu coração cante neste momento? Claro que se tivesses mais dinheiro seria mais fácil. Mas poderias deixar o teu coração cantar sem te agarrar à história de precisar de mais dinheiro? A canção não significa que tens ou não dinheiro. Significa que estás vivo e não estás agarrado a uma história.

Quem é que tu serias se nunca acreditasses na história de que precisas mais dinheiro? Sem este pensamento, como te sentirias?

Acreditas mesmo que o dinheiro te dá mais? Nunca. Os teus pensamentos é que te dão mais.

Experimenta este exercício: escreve um pensamento que te cause stress sobre o dinheiro. Alguns exemplos: “Preciso de mais dinheiro”, “Nunca tenho dinheiro suficiente para o que preciso”, “O dinheiro é necessário para viver.” Estes são pensamentos que causam stress. Agora substitui a palavra dinheiro nesse pensamento por “tempo” ou “amor” ou “saúde” ou “amizade” ou “alegria” ou “vitalidade”... E o pensamento continuará a ser válido (pelo menos até o questionares). E tudo não passa de conceitos na mente. E quando questionados, descobrimos que são todos mentiras que contamos a nós mesmos tantas vezes que acreditamos neles.

A minha experiência ensinou-me que tenho sempre o dinheiro que preciso. Porque é o dinheiro que tenho. Nem mais um cêntimo. Nunca irei ter mais dinheiro do que aquele que tenho. Pensar que deveria ter mais é a causa de sofrimento. O carro novo? A casa nova? A relação nova? Conceitos por questionar.

Em determinada altura da minha vida vivi alguns dias debaixo de um viaduto, em Londres. Sem dinheiro. Descobri que pior do que viver na rua era acreditar que não deveria viver na rua. A realidade é que vivia na rua. O pensamento de que não deveria ser assim era a causa do meu sofrimento. Ainda estou vivo. A experiência foi má? Apenas posso dizer que poderia passar novamente pela experiência e iria sentir-me em paz.

Ao terceiro dia de viver na rua acordei a rir-me de mim. Estava louco. Descobri que estava louco ao sofrer por querer viver numa casa quando estava a viver na rua. E se estava a viver na rua era porque precisava de viver na rua. Pelo simples facto de ser essa a realidade.

Se é bom ou mau viver na rua depende apenas de certos conceitos. Por ter vivido na rua aprendi que nunca estamos sós. Descobri que há pessoas capazes de dar sem esperar receber de volta. Aprendi que não temos qualquer necessidade para além do ar que respiramos. Aprendi ainda que quando estou só e me sinto mal estou em muito má companhia.

Os nossos problemas nunca são a realidade, aquilo que está a acontecer, mas apenas acreditarmos que a realidade deveria ser diferente daquilo que é.

Se neste momento tens dificuldades financeiras aprecia o momento. O que há de belo na tua vida, neste momento? De que te estás a esquecer e que pode deixar o teu coração a cantar? Começa por cantar a realidade de que estás vivo. E de que tens um coração. E de que consegues ler estas palavras. E de que algures há alguém a pensar em ti. E que neste preciso momento tens tudo o que precisas para estar vivo. Se assim não fosse, não estarias vivo.

E à medida que permites que o teu coração cante, desiste da necessidade de ter mais dinheiro. Não imponhas os teus conceitos à realidade, garanto-te que não funciona. Se tens dificuldades financeiras é porque precisas de as ter. Há lições para ti nesta situação. Pergunta-te a ti mesmo quais os benefícios reais para ti devido a esta realidade? Observa-te. Aprende a escutar a canção do teu coração. Em vez de acreditares no que pensas estar errado, abre os braços à vida tal como se apresenta. Afirma a ti mesmo “Eu quero ter a experiência de não ter o dinheiro suficiente para viver!” – e fá-lo com integridade e honestidade. Observa o que vai acontecer nos próximos dias.

Só te posso falar da minha experiência. Nunca temos mais dinheiro do que aquele que temos. E quando nos alinhamos com a realidade, o milagre é a realidade mudar.

Já agora, onde está a crise? Queres acreditar que está fora de ti? Bem-vindo ao inferno. Mas se fores suficientemente honesto e afirmares que a crise está dentro de ti, meu Deus, as mudanças que irás observar na tua vida!

A crise está em pensamentos que negam a realidade. Pensamentos que dizem que os outros deveriam ser diferentes de quem são. Pensamentos que dizem que quando tiveres mais sentir-te-ás melhor. Pensamentos que dizem que os outros não sabem e tu sabes. Pensamentos que te causam stress. Cada pensamento que te causa stress é uma mentira. Mas só 100% das vezes.

Pega numa folha e papel e escreve cinquenta coisas boas na tua vida neste momento. Podes começar pelo teu coração que bate sem teres que pensar nele. E depois ouve o teu coração cantar. De gratidão para com a vida, tal como é em vez de como não é.

2 comentários:

  1. ____________________________________________

    Fazia um tempo que não lia seus textos... São muito bons! Há muita verdade em suas palavras... Idéias que realmente funcionam!


    Beijos de luz e o meu carinho!

    ____________________________________________

    ResponderEliminar
  2. Leio estes textos e é como me virar para dentro de mim e redescobrir-me. São sempre momentos de interrogações e, paradoxalmente, de plenitude. Obrigada por eles.

    ResponderEliminar